Tradutor do Blog

terça-feira, 5 de novembro de 2013

ALERTA SOBRE EFEITO DA PORNOGRAFIA DA INTERNET NO CÉREBRO HUMANO




SEGUNDO JOHN PIPER CONTEÚDO PORNOGRÁFICO PODE SER MAIS VICIANTE QUE COCAÍNA OU HEROÍNA

Em um estudo recente, o pregador e escritor John Piper trouxe à tona um sinal de alerta para os efeitos do vício em pornografia na internet, descobertos através de uma pesquisa neurológica, segundo o blog Desiring God.

Ao retratar como o vício ataca a mente das pessoas, a pesquisa aponta que o efeito sobre o cérebro humano é tão poderoso, ou até mesmo mais do que substâncias químicas que causam dependência como cocaína ou heroína.
Ao comparar com com estudo sobre drogas da Universidade de Princeton (EUA), Piper indica que se há 1,9 milhões de usuários de heroína nos Estados Unidos, o número de viciados em pornografia também pode ser muito grande, com a estimativa de 40 milhões de usuários regulares.
Pastor John Piper
De acordo com especialistas, o grande perigo está no fato de que não há um controle mais intenso da distribuição do conteúdo, que é disponibilizado em grande quantidade e "quase sem resistência", conforme apontou o autor Morgan Bennett do Witherspoon.
Segundo Bennett, a pornografia faz ultrapassar os limites do nível de dopamina no cérebro por conta da sensação de prazer. A dopamina é responsável por transmitir o impulso nervoso que libera algumas substâncias no corpo do ser humano consideradas viciantes, por conta de sua alta dependência uma vez que é consumida pelo organismo.
Outro ponto negativo é que este ciclo vicioso compromete a vida espiritual, o que não é surpresa aos olhos de Deus. Segundo Piper, o Senhor "projetou a interação entre o cérebro e a alma. E qualquer descoberta de dimensão física que afeta a realidade espiritual não anula a realidade espiritual", resume ele.
entro deste contexto, o consumo de obscenidades ainda que limitado pela visão não afasta o homem da transgressão e do pecado. "Mas eu digo: Qualquer que olhar para uma mulher e desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração", diz a Bíblia em Mateus 5:28.
Mas apesar das atribulações causadas pela pornografia, Piper salienta que há esperança, pois Deus tem a última palavra diante dos desvios cometidos pelo pecado da carne.
"O Espírito Santo tem o poder maior. Nós não somos meras vítimas de nossos olhos e nosso cérebro. Tenho conhecimento disso pela Escritura e por experiência", conclui o autor que se aposentou no início deste ano após 33 anos como pastor na Igreja Batista Betel de Minneapolis (EUA).
E mais...

Grupo anti-pornografia realiza evento para orientar sobre os perigos da pornografia


Um dos principais grupos contra a pornografia nos EUA está organizando uma semana de sensibilização destinada a orientar o público sobre os riscos que o consumo de sexo obsceno podem acarretar no comportamento dos seres humanos.

Promovido pela organização Morality in Media (Moralidade na Mídia), o evento White Ribbon Against Pornography Week (WRAP ou Semana da Fita Branca contra a Pornografia) começou no último domingo (27) e segue até o dia 3 de novembro nos Estados Unidos.


Através de seu site oficial, a organização do evento destaca que seu principal objetivo é esclarecer as pessoas dos caminhos que podem ser utilizados para vetar a pornografia do dia-a-dia, sobretudo de jovens.

"A semana se destina a educar o público sobre a extensão do problema da pornografia e sobre o como lutar legalmente contra a maré de obscenidade, que causa enchentes na vida das pessoas", explica a assessoria da conferência WRAP.
Para integrar a mensagem de conscientização, o público interessado adquire um laço branco, símbolo de decência concebido no começo da década de 1990, em Butler (extremo leste dos EUA), com o intuito de identificar a reunião de vários grupos que gostariam de se unir pela causa.
"[No começo do projeto,] Uma fita branca era pendurada nas casas ou carros, e agora com a ajuda da tecnologia e das mídias sociais, a discussão sobre o assunto tem aumentado e centenas de milhares de pessoas estão se conscientizando através da WRAP", afirmou Dawn Hawkins, diretor-executivo da Morality in Media.
Através de seu site, a Morality in Media ressalta que incentiva a iniciativa não apenas da WRAP, mas também de outros grupos dispostos a usar discussões em grupo, sermões de ireja ou panfletos, por exemplo, para enfrentar a disseminação da pornografia.

Por: Luciano Portela 

***
(Postado por: MARCOS MARCELINO)




Nenhum comentário:

Postar um comentário